27.2.07

a aspereza das esferas (canção para o homem médio)

1.

Se dermos um peixe a um homem,
ele matará sua fome.
Se o ensinarmos a pescar,
ele venderá todos os peixes do mar
até não sobrar nenhum.

2.

Por isso eu não ensino nada
que você possa vender.
As teorias dos sábios
e dos amigos da sabedoria
eu as guardo no coração.

Não quero aumentar sua inteligência.
Você já é inteligente, e até demais,
sempre contando pelos cantos
e jamais errando nas contas.

3.

Para você, eu sou tão inútil
quanto uma bolha de sabão.
Minhas concretas abstrações
e meus versos simplórios
não o comovem
e você pensa que a falta é minha.

4.

Para você eu só tenho palavras ásperas
que uso para lembrá-lo
que a casca onde você se enfia
é sua perdição
e a de todos nós.

5.

Enquanto você vive e morre
agarrado às barras de sua cela
eu vou aonde quero
já despido
de minha forma humana:
uma bolha de sabão
cercada de infinito
por todos os cantos.

8 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Chico,

Com esse primeiro verso você abalou a minha "estrutura socialista". Os outros me fazem pensar...
um beijão
Sada

28 de fevereiro de 2007 06:33  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Pois é, Sada. Para mim é primordial a distinção entre desejo e interesse, e o que mais vemos são lutas pelo interesse, e não pelo desejo. Creio que os socialistas - os autênticos, é claro, tão raros - são movidos pelo desejo e têm por isso mesmo dificuldades para perceber que idealizam o "povo". Por isso, para mim, a questão mais essencial é produzir um povo de verdade: aferrado à vida e não ao capital. Cultura versus capitalismo.

Beijão!

28 de fevereiro de 2007 15:09  
Anonymous Anônimo disse...

Você deu um nó no meu pensamento..
quero conversar mais sobre isto
beijão

28 de fevereiro de 2007 20:50  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Quando quiser, Sada.

Há um texto de Nietzsche n'A Gaia Ciência que vem bem a calhar: está logo no início do livro, parágrafo 3 (nobre e vil).

Beijão!

28 de fevereiro de 2007 22:23  
Anonymous Anônimo disse...

já copiei!
beijos!

1 de março de 2007 19:01  
Anonymous Anônimo disse...

Emtre Sadas e beijos, seu Chico. hehehehe

3 de março de 2007 02:21  
Blogger fzsampaio disse...

Chico, esse texto me surpreendeu e comoveu. Abstrações... Algo me diz que o caminho é esse mesmo. Onde será que ele nos levará?
Grande beijo,
Fernanda

10 de março de 2007 07:40  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Ah, Fernanda, só agora vi o seu comentário. Que blogueiro mais relapso!

As abstrações... Ei, que tal reativar a "infatigável"? Às vezes eu sinto saudade daquilo lá.

Beijo grande!

14 de março de 2007 06:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

eXTReMe Tracker