3.3.08

rua

Otto Dix - Strasse (1920)

(clique para ampliar)

15 Comentários:

Blogger joice disse...

"Uma coisa que me intriga é que todo mundo se preocupa tanto com viver e tão pouco com morrer. Por que é que todos esses cientistas bambas sempre andam por aí tentando prolongar a vida em vez de achar um jeito agradável de acabar com ela? Deve haver um mundão de gente como eu neste mundo...gente que quer morrer..."

(texto do espetáculo "Só não fale de amor esta noite")

No meio do estudo me deparei com esta pérola.
Beijo, Chico.

3 de março de 2008 21:13  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Joice querida,

Deleuze diz que o "segredo" de Zaratustra está bem no início do livro, no prólogo. É justamente onde ele fala do "homem que quer perecer".

Não é um tema fácil... Claro. Eu diria, um tanto de improviso, que esse homem quer perecer por amor à vida, ou seja, por não se conformar com uma vida reduzida às suas meras funções de conservação e adaptação. Não é ódio, cansaço ou angústia, mas amor. Esses morrem bem. =)

Beijo!

3 de março de 2008 23:09  
Blogger joice disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

4 de março de 2008 09:40  
Blogger joice disse...

Chico,

Bom saber disso.
Não quero fazer uma apologia ao suicídio e sei que esse tema é meio polêmico (aliás detesto a histeria que os assuntos polêmicos causam nas pessoas, impedindo uma boa reflexão) mas e se a morte for um direito do ser humano, não é mesmo?

Interessante essa idéia de "perecer por amor à vida". Vou ler o prólogo imediatamente.

Não quero gerar polêmica aqui no seu blog mas, meu espírito de porco fica imaginando se a sociedade, um dia, seria livre o suficiente para fazer campanhas do tipo: "Morte, um direito de todos". =P

Não tenho a intenção de morrer sem o acaso natural da chegada da minha "hora extrema"(Óh!),mas e as pessoas que não se adaptam?...Ser condenado à vida pode ser tão terrível como ser condenado à morte.
Sei lá...nunca tinha pensando nisso.
Bem, agora estou pensando... =)

Beijinho.

4 de março de 2008 09:43  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Joice querida,

Eu também não faço apologia ao suicídio, embora defenda o direito a ele (ou à auto-eutanásia) em casos extremos, como no de Deleuze. Para mim seu suicídio foi sua última lição de filosofia: "estamos aqui para viver, e não para simplesmente nos mantermos vivos a qualquer custo (sobreviver)".

Por um desses acasos, o meu único artigo em filosofia toca esse problema bem de perto. Quando puder dê uma olhada:

http://pontocinza.wordpress.com/o-lance-de-dados/

Beijinho.

4 de março de 2008 13:30  
Blogger Maricotinha disse...

Ai Ai....tô adorando...
mas um dia, alguém me disse, que o mundo se resume em duas coisas...ah, deixa pra lá...

5 de março de 2008 18:14  
Blogger joice disse...

Chico,

Ainda não pude ler com atenção "o lance de dados", mas já está salvo para eu levar para casa e ler com cuidado.

Esse papo todo me fez pensar em uma idéia para contribuir com o espetáculo da mulher que entra em órbita quando vai se matar. Acho que já lhe falei sobre esse texto que um amigo está desenvolvendo para fazermos em parceria.

A frase "Condenados à vida" não me sai da cabeça. Acho que vai dar bons frutos. (espero que esse "a" tenha crase, ou então, por favor me corrija!)

Maricota,

você se refere aquelas duas coisas que são a mola e o sentido de toda a existência humana? Xi, falar disso é um perigo. Ainda mais no meio acadêmico. Eles brigam...=P


Beijos no Chico querido e nessa ´Cotinha aí. =)

5 de março de 2008 21:24  
Blogger Maricotinha disse...

Pois é...por isso deixei pra lá, jamais o mencionaria!

Beijos proc's!

5 de março de 2008 22:09  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Epa, o que é que vocês duas estão tri(mari)cotando?

Aqui não tem isso não! Ajoelhou, tem que rezar - e em latim! (cara zangada) Que duas coisas são essas?

O desejo e o caos?

Joice e Maricotinha?

A crase e a crise? =P

(tem sim) =)

Podem ir falando e aproveitem que eu estou calmo!

6 de março de 2008 03:07  
Blogger joice disse...

Há crase e há crise?

À crase e à crise?


ehehhehehe...Putz, eu amo o português (Me refiro a língua portuguesa e não ao dono da padaria!)=P


Jamais, mesmo que me torturem, eu direi o grande segredo para o qual o ser humano trabalha e se torna grande. E que resume toda a vida. Único obejtivo de toda existência. Tudo o que acontece e é construído, é para a conquista destas duas coisas.

E não escapa ninguém!É cruel!

Não falarei sobre isso, ainda mais para um filósofo!

Beijos nos dois. (digo os dois amigos aqui de cima, Chico e Maricota e não os dois..aquilo...para o qual o ser humano...ah..vocês entenderam)

6 de março de 2008 15:34  
Anonymous chico fux disse...

Hahahahaha...

Bom, muito bom...

E eu que nem sabia que a existência tem um objetivo! =P

Tudo o que acontece e é construído, é para a conquista destas duas coisas.

Hummm... Vou arriscar um palpite.

O cano e a cona? :O

Uma de vocês ainda há de me revelar esse segredo essencial (o da existência, claro).

Se é que eu já não acertei! =P

Beijos!

6 de março de 2008 18:35  
Blogger Maricotinha disse...

Vixi...acho que você tá um pouquinho longe, seu Chico...

E Dona Chiquinha é o máximo..hahaha...adorei...pois é, estou com ela. Também não digo!
Juro de dedos cruzados...(x)

Beijo, seu Chico e Dona Chica!

6 de março de 2008 21:19  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Ok, mas eu vou deixar aqui um alerta.

(cara séria)

Vocês duas estão tramando para ocultar o segredo da existência justamente de um filósofo, aquele que supostamente deveria conhecer esse tipo de coisa.

O nome disso é: boicote espiritual.

Que é pior do que qualquer outro.

Portanto, preparem-se para enfrentar as graves conseqüências dos seu atos! Se vocês têm plantação, praga de gafanhotos; se vocês têm namorado, queda livre de pinto - e assim por diante.

Depois não venham reclamar comigo. Reclamem com a Natureza, justa e sábia!

Tenho dito!

Embora vocês não mereçam, meus beijos para vocês! =P

7 de março de 2008 14:15  
Blogger joice disse...

Santa Vera Fisher Das Chagas do Botóx!

Eu não tenho namorado...eu acho ...mas ando de trelelê com um sujeito, e é coisa até bem importante aqui dentro...essa praga serve para ele?

=D

Praga de cu é rola? (sem acento, como você me ensinou...ehehehe)

Pode falar palavrão no seu blog?
Ou isto vai chocar esse excesso de erudição à sua volta? (Céus, uma crase...caceta! Será?)

Por falar nisso, erudição de cu é rola?

(o cano e a cona é a melhor coisa que já ouvi nos últimos tempos! ahahahhaha...maravilha, Chico!)

Beijo! =)

7 de março de 2008 15:05  
Anonymous chico fux disse...

Não é praga, Joice! Chame de... lei natural!

(Aliás, dada a profusão de cus no pedaço, fico tentado a dizer que não é praga, e sim prega!) =P

E como a lei natural (ao contrário das outras) se aplica a todos sem discriminação, prepare-se para revelar o tal segredo ou o trelelê dele vai cair no chão!

Ei, você me deu uma idéia... Que tal chamar cus e conas, digamos assim, mais experientes, de "conas eruditas", cus eruditos"? Hehe

Já que você curtiu, vou fazer uma bobagem no photoshop em sua homenagem quando chegar em casa.

Beijo! =)

7 de março de 2008 15:32  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

eXTReMe Tracker