17.4.08

O vazio em que repouso
desde sempre
torna-me a mim mesmo ausente.

Fosse eu remela, pum, asa de mosca
algo seria:
mas o ser escapa-me tão completamente
quanto o nada, essa alegoria.

Não lastimo a morte
e nem mesmo seu esquecimento:
danço como dança a dança
sem chão para pousar os pés
que não tenho.

2 Comentários:

Blogger Joice Marino disse...

Chico querido,

Puxa, eu estou realmente comovida...

Sim, é maravilhoso. E eu estou comovida.

Deixei um recado no seu perfil e vou ter que repetir aqui:

"Que capacidade é essa que você tem de me resgatar para o alto?...hein?Hein?"

Meu beijo, Chico. =.)

17 de abril de 2008 20:53  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Joice querida,

Que bom... Pois sem você ele não seria! =)

Beijo, beijo!

18 de abril de 2008 04:24  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

eXTReMe Tracker