4.3.09

justice







(publicado originalmente em triagem)

9 Comentários:

Blogger fred girauta disse...

querido xico,
não tinha a mínima lembrança desse poema(ele é perfeito). fui lá conferir... e percebi, percorrendo a trilha de triagem, que não tenho a mínima lembrança de muitas coisas que postamos ali.
foi um exercício de coletividade. sinto falta da potência daquele "comunismo latente".

forte abraço!

24 de março de 2009 15:35  
Anonymous chico fux disse...

Pois é, querido Girauta,

Também sinto saudades daqueles tempos. E não só daqueles tempos! Vamos marcar alguma coisa?

Abraço forte!

26 de março de 2009 02:03  
Anonymous ali_se disse...

E as fotografias?

Abraço

Alice

1 de abril de 2009 04:48  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Refresque minha memória, Alice... Você se refere às suas, aquelas que eu ia utilizar naquele programa de TV?

Forte abraço.

1 de abril de 2009 14:47  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Adendo: não haverá mais programa... agora eu estou traduzindo o site com as aulas de Deleuze. ;)

1 de abril de 2009 14:48  
Blogger Francisco Fuchs disse...

E não é primeiro de abril! =D

1 de abril de 2009 14:48  
Anonymous ali_se disse...

Francisco referia-me à máquina que compraste e que referes num dos post's anteriores. E no momento fiquei a pensar. Bem agora muitas imagens virão. E depois, nada, então?

E tens razão, estou agora recordada, as fotografias que te enviei. E afinal sempre lhes deste uso?

Um grande abraço

Alice

1 de abril de 2009 21:08  
Blogger Francisco Fuchs disse...

Alice, não, não usei aquelas imagens porque não saiu programa de TV algum. Quem sabe se um dia eu não me animo a usá-las num projeto ainda mais pessoal.

Por falar em TV, saí daquele buraco. E saí bem (mal consigo acreditar): apresentei um projeto e agora o governo está a pagar meu salário para traduzir Deleuze (as aulas). Conto com você para divulgar o trabalho aí no além-mar quando sair a primeira publicação.

Quanto às minhas fotos, ainda tenho que aprender muito antes de meter-me a fotografar coisas vivas. Só me atrevi com um galo em Copacabana. As primeiras estão neste endereço ainda não divulgado:

http://rhizoma.blogspot.com/

Abraço saudoso,
Francisco

2 de abril de 2009 17:27  
Anonymous ali_se disse...

Boas novidades, assim é que é Francisco!
Claro que divulgo e ainda por cima de Deleuze e traduzido por ti, será um enorme prazer.
Continua com teu talentoso trabalho.
E aprender, aprender sempre e o mais possível, durante toda a vida, mas com quem sabe de verdade.
Um grande e forte abraço
Alice

2 de abril de 2009 20:52  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

eXTReMe Tracker